O PANTANAL

    Pantanal – um dos ecossistemas mais ricos do Brasil, está localizado na zona tropical, fica a oeste dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, com uma área de aproximadamente 230 mil km², sendo aproximadamente 140 mil km² no território brasileiro.

    Formado por uma planície, o Pantanal está situado na Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai. Recebe uma grande influência do Rio Paraguai e seus afluentes, que alagam a região formando extensas áreas alagadiças e favorecendo a existência de uma rica biodiversidade. A época de chuvas e cheias dos rios ocorre durante os meses de novembro a abril.

    Já o clima, é úmido (alto índice pluviométrico) e quente no verão. No inverno o clima é seco com baixas temperaturas.

    Um dos maiores complexos de pântanos do mundo é internacionalmente conhecido pela sua diversidade zoológica:

    • 263 espécies de peixes
    • 53 espécies de anfíbios
    • 122 espécies de mamíferos
    • 93 espécies de répteis
    • 1.132 espécies de borboletas
    • 656 espécies de aves

   Por esta diversidade, é considerado pela UNESCO – Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera.


CURIOSIDADES

    O Pantanal vive dos rios que descem do Planalto Central do Brasil. A água se espalha pela planície em riozinhos – chamados corixos – baías e lagoas. A passagem da água pelo Pantanal é lenta por uma razão: Em uma distância de um quilômetro na direção norte-sul, o declive é de três a cinco centímetros apenas. Ele é praticamente plano antes de escoar para o Rio Paraguai, e é essa água que passa devagar pela região, que proporciona a abundância de vida no Pantanal tornando um verdadeiro berçário para os peixes.

    Os corixos são os canais que ligam as águas de baías e ficam secos durante parte do ano. Quando enche, os peixinhos encontram todos os alimentos de que precisam para crescer.

    Pescar no Pantanal é o sonho de todos os amantes deste esporte. Mesmo para aqueles que já estão acostumados a exercitar sua paciência, técnica e valentia, a bordo de um barco pelas piscosas águas pantaneiras, sempre haverá uma nova emoção a ser experimentada – um novo local, um rio diferente ou um peixe nunca antes pescado.

    Na verdade, o Pantanal não é só um imenso reduto de pesca, como muita gente imagina, é um paraíso intocado, que deveria ser visitado por milhares de turistas durante o ano todo.


FAUNA DO PANTANAL

    O ecossistema do Pantanal é muito diversificado, abrigando uma grande quantidade de animais, que vivem em perfeito equilíbrio ecológico. Podemos encontrar principalmente, as seguintes espécies: jacarés, capivaras, peixes como o dourado, pintado, curimbatá e pacu, ariranhas, onça pintada, macaco-prego, veado campeiro, lobo guará, cervo-do-pantanal, tatu, bicho-preguiça, tamanduá, lagartos, cágados, jabutis, cobras e pássaros diversos. Além destes citados, que são os mais conhecidos, vivem no Pantanal muitas outras espécies de animais.

    Acredita-se existir aproximadamente 1.000 espécie de aves, 400 espécies de peixes, 300 espécies de mamíferos e 480 espécies de répteis. A caça indiscriminada e predatória de animais como jacarés e ariranhas (para obter couro e pele), a pesca na piracema (período de reprodução dos peixes, onde é vedada a atividade pesqueira nos cursos d’água), o fechamento de bocas de baías (berçários da ictiofauna pantaneira) na região do Caronal – início do leque aluvial do rio Taquari – por

latifúndios de pecuária e o desequilíbrio ecológico, causado pela matança de algumas espécies, são os mais graves problemas relacionados à fauna pantaneira.


FLORA DO PANTANAL 

    A vegetação do Pantanal não é homogênea e há um padrão diferente de flora de acordo com o solo e a altitude. Nas partes mais baixas, predominam as gramíneas, que são áreas de pastagens naturais para o gado — a pecuária é a principal atividade econômica do Pantanal. A vegetação de cerrado, com árvores de porte médio entremeadas de arbustos e plantas rasteiras, aparece nas alturas médias. Poucos metros acima das áreas inundáveis ficam os capões de mato, com árvores maiores como angico, ipê e aroeira.

    Em altitudes maiores, o clima árido e seco torna a paisagem parecida com a da caatinga, apresentando espécies típicas como o mandacaru, plantas aquáticas, piúvas (da família dos ipês com flores róseas e amarelas), palmeiras, orquídeas, figueiras e aroeiras.

    Durante a seca, os campos são cobertos predominantemente por gramíneas e vegetação de cerrado.

    Essa vegetação também está presente nos pontos mais elevados, onde não ocorre inundação. Nos pontos ainda mais altos, como os picos dos morros, há vegetação semelhante à da caatinga, com barrigudas, gravatás e mandacarus. Ainda há a ocorrência de vitória-régia, planta típica da Amazônia. Entre as poucas espécies endêmicas está o carandá, semelhante à carnaúba.

    A vegetação aquática é fundamental para a vida pantaneira, onde imensas áreas são cobertas por batume, plantas flutuantes como o aguapé e a salvínia. Essas plantas são carregadas pelas águas dos rios e juntas formam verdadeiras ilhas verdes, que na região recebem o nome de camalotes.

    Há ainda no Pantanal áreas com mata densa e sombria. Em torno das margens mais elevadas dos rios ocorre a palmeira acuri, que forma uma floresta de galerias com outras árvores, como o pau-de-novato, a embaúba, o jenipapo e as figueiras.

    São muitas curiosidades, mas o melhor de tudo é vivenciar.
Vem para a Pousada Reserva do Pantanal!